Menu
terça , 29 de setembro de 2020
Buscar
(67) 9 9954-7979

Batayporã
Cachorra vítima de maus-tratos não resiste aos ferimentos e morre
“Bolinha” sofreu queimaduras provavelmente provocadas por água quente. Ela foi operada, mas não resistiu e acabou morrendo
29 JUL 2020
Nova News
11h50


“Bolinha” sofreu queimaduras provavelmente provocadas por água quente. Ela foi operada, mas não resistiu e acabou morrendo
Imagem: WhatsApp
A cachorra já idosa e sem raça definida que ficou gravemente ferida ao ser vítima de queimaduras em Batayporã na sexta-feira (24) não resistiu e morreu na madrugada desta quarta-feira (29).

A denúncia sobre os maus-tratos chegou até a redação do Nova News no sábado (25). Conforme relatado ao site, "Bolinha", como é chamada, teria chegado na residência de sua dona com graves queimaduras supostamente provocadas por água quente.

Voluntários da Organização Não Governamental (ONG) Patinhas de Amor, viabilizaram a internação da cachorra na Animal Clínica Veterinária, em Nova Andradina, onde ela foi submetida a cirurgia na noite deste sábado (25).

O estado de saúde do animal era bastante delicado e "Bolinha", mesmo recebendo todos os cuidados, acabou não resistindo aos ferimentos.

A responsável pelo animal comunicou o fato à Polícia Militar Ambiental (PMA) bem como registrou um boletim de ocorrência junto à Polícia Civil para que o caso seja investigado.

Crime
O crime de maus-tratos é tipificado no artigo 32 da lei 9.605/98, a lei de crimes ambientais, que dispõe sobre praticar ato de abuso, maus-tratos, ferir ou mutilar animais silvestres, domésticos ou domesticados, nativos ou exóticos.

O infrator que comete qualquer tipo de maus-tratos contra animais será multado administrativamente em R$ 500 a R$ 3 mil por animal, com amparo no artigo 29 do decreto federal nº 6.514/08, que dispõe sobre infrações e sanções.

Já o decreto federal nº 24.645/34 estabelece medidas de proteção aos animais, determinando que manter animais em lugares sem higiene, acorrentados, sem água, sem comida ou abandonar animal doente, ferido, não prestando assistência veterinária é crime.