Terça , 20 de Agosto de 2019
(67) 9 9954-7979


Campo Grande
Mãe pede ajuda para tratamento de filha diagnosticada com doença rara
Criança foi diagnosticada com síndrome de Wolff-Parkinson-White e sofre Taquicardia
18 ABL2019
Por Top Mídia
09:30

Após a pequena Helena Cabreira Bueno, de um ano e dois meses, ser diagnosticada com síndrome de Wolff-Parkinson-White, Joice da Silva Cabreiro Bueno, 31 anos, pede ajuda para comprar os medicamentos da filha. A criança sofre de taquicardia, aumento da frequência cardíaca a mais de 100 batidas por minuto, que pode tanto começar nas câmaras inferiores do coração, quanto nas câmaras superiores.

Joice explica que a primeira crise aconteceu em novembro do ano passado e na última internação de Helena, os médicos tiveram que realizar um procedimento com choque para fazer a taquicardia passar. "O coração dela fica muito acelerado e somente com medicamentos na Santa Casa que conseguem reverter. Os médicos dizem que ela nasceu com isso, mas só descobrimos quando aconteceu a primeira crise. Na última vez que ficamos internadas no hospital, os médicos tentaram reverter com medicação, mas não adiantava, daí eles deram choque nela para poder voltar porque é perigoso ela ter uma parada cardiorrespiratória".

De acordo com a genitora, que está atualmente desempregada, a família enfrenta dificuldades até mesmo para levar Helena ao médico. "Meu marido trabalha como eletricista em montagem e manutenção de redes, ele está recebendo o último mês de seguro desemprego, eu estou desempregada, meu sogro cedeu um carro para que a gente leve a Helena ao médico, moramos aqui no bairro Campo Nobre, ela tem médico todo dia, tem exames, cada ida temos que colocar R$ 20 de gasolina, ela toma dois remédios que custam R$ 116 a alimentação dela é regrada, a base de frutas e legumes, seguindo uma dieta do médico. Se as pessoas puderem nos ajudar, eu agradeço de coração".

Sobre o tratamento do diagnóstico de Helena, a mãe explica que foi orientada pelos médicos que caso não seja possível reverter a situação, a menina pode ser levada para Curitiba. "Se os médicos daqui não conseguirem reverter a situação quando ela tem Taquicardia, só em Curitiba para reverter o caso porque eles têm outro procedimento que é realizado só com extrema necessidade".

Para ajudar Helena e a família, basta entrar em contato através do telefone (67) 991677547. Para ajudar a família com recurso, basta fazer um depósito na conta do pai da menina.

Conta Poupança

Agência 3657

Operação 013

Conta 00000793-8

Nome: Antonio Carlos Santos Bueno